Especialidades

Nós do IUCR somos especialistas na prevenção, no diagnóstico, tratamento e seguimento do câncer. Referência nas áreas de Uro-Oncologia, Cirurgia Oncológica Pélvica e Oncologia Clínica e na aplicação de inovadoras tecnologias cirúrgicas, como cirurgia minimamente invasiva, cirurgia robótica e ultrassom focalizado de alta frequência.

A informação referenciada é uma ferramenta importante para auxiliar todas as pessoas a conhecerem mais sobre a doença, se prevenir e estar ciente das possibilidades de tratamento. Aqui em nosso site temos uma área dedicada à informação sobre os tipos de câncer e tratamentos.

 

É importante iniciar entendendo O QUE É O CÂNCER

O corpo humano é formado por trilhões de células que se multiplicam por meio de um processo chamado divisão celular. Em condições normais, esse processo é ordenado e controlado e é responsável pela formação, crescimento e regeneração dos tecidos saudáveis do corpo.

O câncer ocorre quando as células de algum órgão ou tecido começam a se multiplicar desordenadamente e sem controle. Essas células podem se concentrar em um determinado órgão ou tecido do corpo, sendo caracterizada como tumor primário. Porém, também podem se espalhar, alcançando outras regiões e dando origem a novos tumores. Esse processo se chama metástase.

 

 

 

 

 

Independentemente do local para onde a doença se espalhou, o tipo de câncer leva o nome do local de origem, ou seja, do tumor primário. Por exemplo, o câncer de próstata que se espalhou para os ossos é chamado de câncer de próstata metastático, e não tumor ósseo.

Assim como o corpo humano é composto por diferentes

tipos de células, também existem mais de 800 tipos de câncer.

Cada tipo de câncer tem um comportamento e características

genéticas e moleculares diferentes e, portanto, tratamentos

diferentes. Mesmo quando duas pessoas têm o mesmo tipo de câncer

a conduta de tratamento também pode ser diferente. É o médico oncologista

que vai avaliar as diversas variáveis e características do tipo de tumor e o perfil

do paciente para determinar o plano de tratamento individualizado e mais

eficiente para cada caso.

Nem todos os tumores são malignos. Os tumores benignos podem crescer e pressionar órgãos e tecidos saudáveis, por isso devem ser tratados, mas eles não invadem outros tecidos e órgãos.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer, Inca, estima-se que haverá aproximadamente 324 mil novos casos de câncer no Brasil em 2018.

O processo de desenvolvimento do câncer, em sua maioria, ocorre lentamente, podendo levar vários anos para que uma célula cancerosa se prolifere e dê origem a um tumor visível. Suas causas são variadas, podem estar relacionadas a fatores ambientais ou fatores genéticos.

Para ter ideia, a origem de 9 em cada 10 casos da doença têm relação com fatores ambientais, seja por comportamentos nem sempre saudáveis ou pela exposição a fatores e agentes de diferentes origens e que muitas vezes podem ser evitados. Esses fatores de risco ambientais são denominados cancerígenos ou carcinógenos e atuam alterando a estrutura das células. Somente cerca de 10% dos cânceres estão associados a fatores genéticos.

Como a população tem vivido mais tempo é natural observar um aumento progressivo na incidência de casos de câncer no mundo. O envelhecimento também acarreta mudanças nas células o que aumenta o risco de desenvolvimento da doença, uma vez que as células das pessoas idosas estiveram expostas por mais tempo a diferentes fatores de risco. Quanto mais tempo o individuo vive, mais riscos ele tem de desenvolver a doença.

Tabagismo


Excesso de ingestão de bebida alcoólica


Obesidade


Alimentação desequilibrada, consumo excessivo de carnes vermelhas, embutidos, defumados e alimentos industrializados


Sexo sem proteção


Exposição a poluentes ou substâncias tóxicas, como amianto, arsênico e níquel


Exposição prolongada aos raios solares sem proteção


Radiação


Remédios à base de hormônios

 

Envelhecimento: o risco duplica a cada cinco anos após os 25 anos de idade

Infecções virais, como HPV e hepatite B

Herança genética

É possível adotar medidas que diminuam o risco de desenvolvimento da doença por relação com fatores ambientais. O resumo dessas medidas é a adoção de um estilo de vida saudável, o que inclui:

  • controlar o peso

  • praticar exercícios físicos regularmente

  • ter uma alimentação equilibrada, rica em verduras, legumes e frutas, evitando excesso de sal, açúcar, carnes vermelhas, embutidos, defumados e alimentos industrializados

  • não fumar

  • consumir bebidas alcoólicas moderadamente  

  • praticar sexo com proteção 

  • se expor ao sol somente nos horários recomendados e com o uso de protetor solar

É importante lembrar que com o diagnóstico precoce as chances de sucesso no tratamento do câncer podem superar 90%. Por isso, é fundamental estar atento aos sintomas e fazer os exames de rotina regularmente. Procure sempre um médico.

logo-negativo-novo.png
logo-fb.png
logo-linkedin.png
logo-youtube.png
Médico responsável: Dr. Gustavo Cardoso Guimarães - CRM/SP 80506
Copyright © Instituto de Urologia, Oncologia e Cirurgia Robótica Dr. Gustavo Guimarães. Todos os direitos reservados