Cinco fatos sobre o coronavírus

Ainda são muitas as dúvidas sobre o novo coronavírus e sobre como a doença afeta o organismo, ainda mais se levarmos em conta as diversas fake news que se espalham diariamente.


Reunimos aqui 5 fatos importantes que você precisa saber sobre o assunto


1. O VÍRUS

O coronavírus é um grupo de vírus que se aloja nas vias respiratórias, causando, entre outras situações um processo inflamatório nos pulmões, o que dificulta a troca de ar com o sangue.


Os primeiros coronavírus humanos surgiram em 1937, mas foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus. Já o novo coronavírus (COVID-19) surgiu na China em dezembro de 2019


Apesar do vírus preferir regiões do trato respiratório, ele também pode se alojar em outras partes do corpo. É o caso do trato digestivo (estômago, intestino e reto, por exemplo). É por isso que alguns dos possíveis sintomas são desconforto abdominal, diarreia e náuseas. As células do coração também podem apresentar possibilidade de inflamação no músculo do miocárdio e as células renais, a possibilidade de inflamação dos rins.

2. TRANSMISSÃO

A transmissão acontece quando secreções de uma pessoa infectada com o vírus atingem as mucosas oculares, nasais e orais de alguém saudável. Isso ocorre por meio do aperto de mão, gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro e objetos ou superfícies contaminadas como celulares, mesas, maçanetas, brinquedos e teclados de computador etc.


Cerca de 20% dos pacientes com COVID-19 são acometidos com a forma mais grave da doença, aquelas que evoluem para a pneumonia, mas não são em todos esses casos que há necessidade de internação em unidade de tratamento intensivo (UTI). Cerca de 5% desses casos, evoluem para o comprometido pulmonar extremo, necessitando de ajuda externa de aparelhos para respirar. A maioria dos pacientes não chega a este estado e, dentre elas, há aqueles que são assintomáticos, ou seja, não manifestam sinais da doença.


A doença pode levar até 14 dias para começar a se manifestar, mas em média são cerca de cinco dias.


Todos estão suscetíveis ao vírus, mas os riscos de complicação aumentam de acordo com a idade. Pessoas acima dos 60 anos são as que apresentam maiores riscos, assim como pacientes com doenças crônicas (cardiovasculares, pulmonares, diabetes, hipertensão) ou com condições que diminuem a imunidade, como o tratamento do câncer.


3. SINTOMAS

Os sintomas iniciais da infecção pelo novo coronavírus são muito parecidos com os da gripe. Por isso, é importante estar atento aos principais sintomas: febre, tosse e dificuldade para respirar.


Ao identificar os sintomas, fique em casa por 14 dias e siga as orientações do Ministério da Saúde para o isolamento domiciliar. Só procure um hospital de referência se estiver com falta de ar e/ou febre persistente.




4. TRATAMENTO

Ainda não existe um tratamento com medicação para a doença. Os médicos tratam os sintomas para evitar o agravamento da doença e reduzir o desconforto.

5. PREVENÇÃO

O coronavírus tem uma alta taxa de contágio. Por isso a forma de prevenção deve ser severa, deve-se:


• Lave com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão ou então higienize com álcool em gel 70%.

• Ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com lenço ou com o braço, e não com as mãos.

• Evite tocar olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas. Ao tocar, lave sempre as mãos como já indicado.

• Mantenha uma distância mínima cerca de 2 metros de qualquer pessoa tossindo ou espirrando.

• Evite abraços, beijos e apertos de mãos. Adote uma onda amigável sem contato físico, mas sempre com sorriso no rosto.

• Higienize com frequência o celular e brinquedos das crianças.

• Não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, toalhas, pratos e copos.

• Evite aglomerações e mantenha os ambientes limpos e bem ventilados.

• Se estiver doente, evite contato físico com outras pessoas, principalmente, idosos e doentes crônicos e fique em casa até melhorar.

• Durma bem, tenha uma alimentação saudável e faça atividade física.


Máscara

A máscara deve ser utilizada somente pelos profissionais de saúde ou:

· por quem estiver apresentando sintomas da doença, (tossindo ou espirrando para evitar transmitir vírus para outras pessoas).

· em pessoas saudáveis que estiverem cuidando de uma pessoa com doenças respiratórias.


Em todas as situações recomendadas acima, utilize a máscara do tipo cirúrgico. A máscara N95 é de uso dos profissionais de saúde e é fundamental para sua proteção.


Fonte: https://coronavirus.saude.gov.br/index.php/sobre-a-doenca

1,399 visualizações
logo-negativo-novo.png
logo-fb.png
logo-linkedin.png
instagram-logo-icon-voronezh-russia-nove
logo-youtube.png
Médico responsável: Dr. Gustavo Cardoso Guimarães - CRM/SP 80506
Copyright © Instituto de Urologia, Oncologia e Cirurgia Robótica Dr. Gustavo Guimarães. Todos os direitos reservados