top of page

Tenho casos de câncer na família, posso ter câncer também?

Sempre que falamos sobre o desenvolvimento do câncer, precisamos entender as suas possíveis causas. Ter casos de câncer na família pode sim ser um fator de risco.




Dr. Gustavo Cardoso Guimarães, diretor do IUCR, responde a pergunta: Tenho casos de câncer na família, posso ter câncer também? Confira:


Dados científicos mostram que cerca de 90% dos casos da doença são esporádicos, isso significa que eles são resultado de fatores de risco diversos, que são adquiridos ao longo da vida. Entre esses fatores estão: o tabagismo, o consumo de bebidas alcoólicas em excesso, a exposição à radiação solar sem proteção, uma alimentação desequilibrada, sedentarismo, obesidade, fatores hormonais e a exposição a alguns componentes químicos cancerígenos.


Outro dado é que apenas cerca de 1 em cada 10 casos de câncer tem origem hereditária, ou seja, são transmitidos de pais para filhos. Essa mutação herdada, conhecida também como alteração genética germinativa, já ocorre durante o processo de fecundação do óvulo pelo espermatozoide. Quando o câncer tem como causa uma mutação genética herdada dos pais, costuma-se dizer que o câncer é hereditário, mas na verdade o que é herdado é o gene mutado que provocou o desenvolvimento da doença e não o câncer em si.


Assim, voltando a pergunta inicial, se você tiver casos de câncer na sua família, principalmente entre parente de primeiro grau, como mãe, pai, irmãos e avós, existe sim uma probabilidade de você desenvolver a doença.


É importante estar atento a alguns fatores que podem sugerir uma síndrome de câncer hereditária:

 

• Muitos casos do mesmo tipo de câncer na família;

• Muitos casos de câncer em pessoas da mesma família (avó, mãe, filhas, irmã);

• Quando o câncer ocorre em pessoas muito jovens;

• Se uma pessoa tiver mais de um tipo de câncer;

• Desenvolvimento do câncer em ambos os órgãos (olhos, rins, mamas).


Esses fatores podem ser investigados por um médico especialista em oncogenética. Ele vai avaliar o histórico pessoal e familiar e poderá indicar a realização de testes genéticos para mapear se existe alguma mutação herdada. O teste positivo pode confirmar o diagnóstico de uma síndrome hereditária, indicar que existe um risco aumentado para desenvolvimento de câncer no futuro ou até mesmo risco para câncer nos filhos. Esses testes também ajudam na tomada de decisão em relação as opções de tratamento mais efetivas para cada caso

 

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page