Pesquisa científica é aliada na evolução do tratamento do câncer.

Estudos científicos direcionam mudanças no tratamento de tumores ginecológicos


Dra Andrea Paiva Gadelha Guimarães, nossa Oncologista Clínica, foi uma das autoras de importantes artigos científicos publicados em renomadas revistas científicas internacionais nos últimos dois meses.


O primeiro deles "Risk factors for pelvic and distant recurrence in locally advanced cervical cancer", publicado na European Journal of Obstetrics & Gynecology and Reproductive Biology, faz uma revisão retrospectiva de dados de 127 pacientes com câncer de colo de útero, localmente avançado, tratados em uma única instituição entre 2005 e 2014 para avaliar a relação entre a estratégia de tratamento adotada e a sobrevida global dos pacientes


O conhecimento dos diversos fatores de risco associados a recidiva locorregional e a distância em câncer de colo uterino avançado pode ajudar a traçar mudanças de estratégias no tratamento. Foi observado que no grupo de 127 pacientes com tumores maiores que 6 cm, com adenocarcinoma e linfonodos positivos, tiveram a pior sobrevida livre de recidiva locorregional. Já 22 pacientes (apesar da amostra ser pequena e estatisticamente não significativa) tratados com quimioterapia de consolidação (quimioterapia isolada após o tratamento padrão de quimioterapia e radioterapia combinadas) apresentaram, na análise univariada, ganho em sobrevida global e na análise multivariada tendência a ganho de sobrevida global, livre de metástase a distância.


O segundo artigo "Year in Review 2018 – Breast Cancer Edition", publicado na Brazilian Journal of Oncology, consolida os principais estudos clínicos que tiveram maior impacto, em 2018, nas mudanças de conduta para o tratamento do câncer de mama adjuvante e metastático, considerando desde a avaliação molecular do tecido mamário primário para reforçar o benefício da quimioterapia, até grandes avanços na terapia sistêmica para o cenário metastático.


O terceiro artigo, “2018 in review: gynecologic cancer insights” , também publicado na Brazilian Journal of Oncology, destaca alguns trabalhos realizado em 2018 e que trouxeram avaliações importantes de conduta no tratamento do câncer, como: a manutenção de olaparibe em primeira linha para as pacientes com câncer de ovário e mutação de BRCA, o benefício da re-exposição ao bevacizumabe para pacientes com câncer de ovário recidivado (platino sensível), os resultados inesperados da cirurgia minimamente invasiva em câncer de colo uterino inicial, dentre outros.

0 visualização
logo-negativo-novo.png
logo-fb.png
logo-linkedin.png
instagram-logo-icon-voronezh-russia-nove
logo-youtube.png
Médico responsável: Dr. Gustavo Cardoso Guimarães - CRM/SP 80506
Copyright © Instituto de Urologia, Oncologia e Cirurgia Robótica Dr. Gustavo Guimarães. Todos os direitos reservados